Frituras como e quando comer?



É muito difícil excluir completamente as frituras do nosso dia a dia. Sabemos que o consumo de óleo não deve ser superior a 7,5 ml por dia o que dá uma colher de sopa.

Para ajudar a chegar a isso temos algumas dicas simples:



  1. Não adicionar óleo para fritar carne. Como faz? Se refogar coloque todos os temperos na panela, quando a cebola solta um liquido está na hora de refogar a carne, vá acrescentando um pouquinho de água e a própria carne soltará o óleo dela. Se for bifes vale a dica da água, é só colocar o bife e ir colocando um pouquinho de água, ou até mesmo aquele sangue que derrete quando a carne está congelada.
  2. Troque a fritura por assados, o gosto muitas vezes fica igual e em alguns casos melhor como o da Berinjela Assada. É possível fazer isso com hambúrgueres, steaks, quibes, frango, batata frita (aquela congelada). É só colocar no forno pre-aquecido a 150° e esperar assar, cada alimento demora um tempo diferente, no caso da batata tem que colocar ela ainda congelada e virar ela de lado, até que ela fique crocante. 
  3. Evite os industrializados – Os salgados que já vêm prontos para fritar costumam conter a tão temida gordura trans, que aumenta os níveis de colesterol ruim e diminui os de colesterol bom. Ela é a responsável por garantir cor, textura, aparência e aroma, além de aumentar a conservação desses alimentos. Portanto, dê preferência às receitas caseiras.
  4. Escolha o óleo certo – Óleos vegetais são os ideais para fritar a comida. Dê preferência aos de soja, canola, milho e girassol. Eles contém Vitamina E e a gordura presente nesses óleos é insaturada (boa). Apesar de o azeite ser saudável, não use-o para fritar. O azeite exposto às altas temperaturas se transforma em gordura saturada (ruim).
  5. Cuidado com a temperatura – Nunca esquente muito e nem por muito tempo a panela com óleo. Quando você deixa a temperatura acima de um determinado grau, o óleo acaba formando uma substância chamada acroleína, que é altamente cancerígena. Mantenha sempre o fogo baixo e evite deixar a comida por muito tempo mergulhada na gordura.
  6. Nunca reutilize – É comum guardar o óleo já utilizado para reaproveitá-lo depois, mas essa atitude não é nada certa e nem faz bem ao corpo. Depois de ser usado, o óleo já causou muita saturação e deixa de existir substâncias boas nele, além de acontecer a formação de acroleína. O ideal é, depois de esfriar, filtrá-lo e colocá-lo em um recipiente para encaminhar à reciclagem.
  7. Repouse sobre o papel toalha – O papel toalha pode absorver a gordura excedente. Mas ele não a retira por completo, então só isso não garante uma fritura mais sequinha, é preciso respeitar todas as dicas anteriores para se deliciar com as frituras moderadamente (a indicação é apenas uma vez por semana) sem tantos danos à saúde.