Leite, vilão ou não?

O leite é um alimento muito conhecido, rico em proteínas, vitaminas e minerais, principalmente vitamina A e D e o cálcio.


O leite é considerado benéfico para a saúde, principalmente na infância. Nesta época o aconselhável é o leite materno exclusivo até os seis meses de idade e a partir desse idade o leite deve ser mantido até os dois anos e a alimentação complementada por outros alimentos. 
Durante a infância e a adolescência necessitamos de uma grande quantidade de cálcio para o crescimento saudável dos nossos ossos, para isso recorremos ao leite de vaca que é rico nesse mineral. Além disso o leite também contém magnésio que fortalece o sistema imunológico e o fósforo que auxilia o sistema nervoso.

Até ai tudo bem, mas e na fase adulta? Precisamos ainda do leite?

Geralmente sim, depende do resto da sua alimentação. Na fase adulta precisamos manter uma ingestão de cálcio adequada para evitamos a descalcificação dos ossos, além disso, a contração muscular também depende de cálcio. Se consumirmos outros alimentos que consigam atingir a quantidade necessária de cálcio não precisamos do leite e seus derivados. Porém, o leite é umas das melhores fontes de cálcio, portanto é um pouco difícil ingerimos a quantidade adequada sem ele. 

Para quem não gosta do leite, os derivados como queijos e iogurtes são boas fontes de cálcio também, assim como o leite de soja que hoje em dia já é fortificado com cálcio, leite de amêndoas e de arroz, o gergelim, grão de bico, feijão brando,sardinha, atum, quinua e amaranto também são ricos nesse mineral.

Ainda sim há profissionais que desestimulam o uso do leite por adultos, visto a quantidade de hormônios que são dadas as vacas para que elas deem mais leite e seu efeito pró-inflamatório. Pesquisando mais sobre o assunto descobri que ainda não há provas científicas que o leite realmente tenha um efeito negativo no nosso organismo e quanto aos hormônios hoje em dia a criação de gado leiteiro é muito mais fiscalizada e tem as quantidades de hormônio controladas. 

E para completar:

O Conselho Regional de Nutricionistas da 3ª Região (SP, MS), no cumprimento de suas atribuições de orientar e disciplinar a prática profissional dos nutricionistas inscritos, emite parecer sobre a restrição ao consumo de leite. Este parecer foi construído com base no encontro com especialistas promovido no Projeto Ponto e Contraponto e divulga os pontos acordados que devem subsidiar a prescrição dietética do nutricionista. 
O CRN-3 esclarece e orienta:


1) O leite de vaca e de outras espécies animais são excelentes fontes de nutrientes e podem fazer parte de uma dieta normal de indivíduos em todas as fases do desenvolvimento, especialmente na infância;


2) A recomendação indiscriminada para restrição ao consumo de leite e derivados não encontra atualmente respaldo científico com nível de evidência convincente e está em desacordo com o Consenso Brasileiro sobre Alergia Alimentar (2007);