Alimentação fora de casa

Pesquisa realizada pelo IBGE aponta que os brasileiros têm se alimentado mal mesmo em casa. O ritmo de vida que moradores das metrópoles levam, geram uma decaída na qualidade de vida, tendo em vista fatores como alimentação, pratica de atividades físicas e sono. A falta de tempo é para muitos a principal causa por optar pelos fast foods e lanches em geral e para deixar a atividade física de lado, as cidades dormem tarde e acordam cedo, mesmo assim não se encontra tempo para cuidar da saúde.

Mas através dessa pesquisa o que se vê é que essa desculpa não é tão convincente assim. Fez-se uma pesquisa dos alimentos disponíveis nas residências. Alimentos como frutas e verduras que deveriam corresponder entre 9 a 12% das calorias diária ingeridas corresponderam somente a 2,8%, enquanto alimentos ricos em gordura e açúcares atingem a 28% de calorias ingeridas.

A pesquisa ainda demonstra que o consumo de alimentos preparados e misturas industriais atingem até 20% do consumo diário ( Alimentos como macarrão instantâneo, lasanha pronta, suplementos alimentares, "ração humana"). Também aumentou o consumo de refrigerantes, água mineral e cerveja.

O brasileiro tem se alimentado menos em casa, mas mesmo quando pode se alimentar em casa se alimenta mal. Hoje mesmo se alimentado fora de casa temos mais opções de alimentação saudável, até já existem alguns fast foods que oferecem sanduíches naturais, sucos naturais, saladas e carnes magras. Não se pode esquecer também dos restaurantes self service, a  escolha do que comer é sua e neles geralmente encontramos diversidades de legumes e verduras e sempre tem ao menos uma opção de fruta como sobremesa. A própria marmita se tornou uma opção para se alimentar melhor fora de casa, mas de nada adianta se a comida que foi levada de casa também não é adequada.

O nosso corpo é o espelho das escolhas que fazemos, alimentar-se bem é cuidar da nossa saúde e da nossa auto estima.