Planejamento contra o desperdício

Gente hoje eu vim aqui para mostrar uma reportagem que fiz para a Revista Ecológico sobre desperdício de alimentos e aproveitamento integral de alimentos.
Todas as partes dos alimentos são aproveitadas - Foto: Shutterstock
Os interessados em cursos de capacitação e oficinas de aproveitamento integral de alimentos podem procurar a Cozinha Experimental do CMRR, em Belo Horizonte, que iniciou suas atividades em 2008 e já capacitou mais de 3.500 alunos. Entre os participantes, a maioria é mulher, principalmente, donas de casa e aposentadas. “Mas temos também um grande número de estudantes de nutrição e de áreas ligadas ao meio ambiente. Oferecemos, ainda, uma colônia de férias voltada para os alunos das escolas públicas, de sete a 14 anos, realizada em julho e janeiro”, informa a estagiária de Nutrição, Jeniffer Marciano.
A cada oficina é preparada uma receita nova, aproveitando todas as partes dos alimentos, como folhas, talos, sementes e cascas. “Na  maioria das vezes, essas partes têm muito mais nutrientes do que a polpa. É o caso da laranja, cuja casca tem cinco vezes mais fibras e 40 vezes mais cálcio. Já casca de melancia tem quatro vezes mais potássio do que a polpa. Quase todas as cascas e sementes podem ser consumidas, como a casca e a semente do chuchu, do mamão e da melancia. Para fazer bolo de cenoura e de laranja, por exemplo, também não é necessário retirar as cascas”, orienta.
Em geral, os participantes são movidos pela busca de uma alimentação mais adequada e saudável. “A curiosidade em relação às receitas também é grande, já que não é comum aproveitar os alimentos dessa maneira. Outra oficina que atrai bastante gente é a de sabão caseiro, feito com óleo de cozinha usado. Como é uma receita diferente e o sabão fica pronto na hora, cria-se bastante expectativa entre os alunos.”